setembro 02, 2009

A cabeça de Simon estava levemente voltada para cima. Os olhos não podiam se desviar e o Senhor das Moscas pairava no espaço diante dele.

- Que está fazendo aqui sozinho? Não tem medo de mim?

Simon fez que não.

- Não há ninguém para ajudar você. Só eu. E eu sou o Bicho.

A boca de Simon torceu-se com esforço, produzindo palavras audíveis.

- Uma cabeça de porco numa vara.

- Que engraçado achar que o Bicho é algo que podem caçar e matar! - disse a cabeça. Por um instante, a floresta e todos os outros lugares indistintos ecoaram com a paródia de uma gargalhada. - Você sabe, não é? Sou parte de você? Quase, quase, quase! Sou a razão por que ninguém pode ir embora? Por que as coisas são o que são?

A risada irrompeu de novo.


O Senhor das Moscas, de William Golding

Um comentário:

Lívia Araújo disse...

Ohhhh. Eu sou louca para ler esse livro.