agosto 03, 2007

Acho que se aprendesse a viver sozinha como o Pequeno Príncipe, eu seria mais feliz. Se aprendesse a conservar minha fé como o pescador de Hemingway, eu seria mais livre. Se largasse tudo e me soltasse no mundo como o José de Chico, eu poderia também me descobrir. Se eu fosse sincera e pura como Oskar, minha riqueza não poderia ser mensurada nesse mundo. Talvez um dia, meus medos me permitam viver inteiramente. Mesmo que seja através da literatura...

2 comentários:

Nessita! disse...

nossa! tanta vida que eu vivo na literatura!! Como é verdadeiro isso, e eu nem tinha percebido o quanto!
bjus

Lu Thomé disse...

Eu amo todas essas minhas vidas. E sinto verdadeira saudade do Oskar... E já perdi a conta de quantas vezes já indiquei esse livro - hehehehehehe...

Beijos, Nessita!