fevereiro 17, 2008

A sessão de Juno no Unibanco Arteplex estava lotada. E começou quase colada na anterior. Mesmo estando no início da fila, entramos na sala no meio dos trailers. E eu não tinha visto: a poltrona ao meu lado esquerdo estava repleta de purpurina. Esfreguei o braço no estofado no momento em que acomodava a minha bolsa. Saí do cinema brilhando um pouco. Exatamente da maneira como me senti depois que o filme terminou.

2 comentários:

Lívia Araújo disse...

Lu, às vêiz o acaso se encarrega do mágico, né não?
Beijo pra você. :-)

Lu Thomé disse...

Totalmente, Lívia! Beijo pra ti também!