outubro 26, 2008

Eu tenho casa. Sim, tenho marido, cama, cozinha, banheiro. Eu tenho a casa da minha família. Com montes de cachorros e todo mundo (feliz ou brigando, mas todo mundo enfim). Eu também tenho a outra família, que é a casa da sogra (mas não nesse sentido). Tenho o escritório. Eu tenho até a mesa que eu mais gosto de tomar café na Livraria Cultura.

Eu tenho tudo isso.

Mas eu não tenho um canto que é meu. Um lugar que eu diga: aqui começa o meu território. Só meu. E vai pra PQP quem quiser fazer qualquer coisa aqui nesse espaço, porque não pode.

Um lugar onde eu possa me isolar. Não porque eu odeio o mundo. Mas porque eu aprendi que quando estou sozinha eu sou eu na décima potência. E isso é bom. E porque eu aprendi que só consigo escrever quando estou sozinha. Cansei de tentar escrever com as pessoas ao meu redor. Isso não funcionou e nunca vai funcionar.

Eu quero escrever. Eu não tenho esse lugar. E, ultimamente, tenho sentido muita falta dele.

2 comentários:

Mari Thomé disse...

Sempre terás um cantinho pra ti na minha casa ;)

Lu Thomé disse...

Thanks, querida Maricota!!

Beijos!