novembro 06, 2008

Da esquerda para a direita: Não Editora: eu, Rodrigo Rosp, Samir Machado de Machado e Antônio Xerxenesky. Depois o pessoal da Arquipélago e da Libretos.

Manual de sobrevivência da pequena editora

O que faz uma editora pequena sobreviver em um mercado de gigantes? Não falta em Porto Alegre quem tente responder essa pergunta na prática. Com autores novos pipocando e a tecnologia mais acessível, parece mais fácil abrir uma editora. O desafio é outro.
(...)
Mas uma turma numerosa segue no mercado. Há um ano, seis escritores fundaram a Não Editora buscando abrir espaço para novos ficcionistas. Receberam dicas de Tito Montenegro, da Arquipélago, fundada em 2006. Tito, por sua vez, contara com a experiência de Alexandre Ramos, que há oito anos criou a Zouk em São Paulo e, junto com a mulher, Natalie Nogueira, a trouxe para a capital gaúcha em 2005. Hoje, a Zouk tem sede, três funcionários, lança 15 títulos ao ano. E dá lucro.
(...)
É preciso saber onde poupar para não comprometer a qualidade do livro. Luciana Thomé e Rodrigo Rosp, sócios da Não Editora, destacam que não vale a pena economizar papel, espremendo as letras na página, nem descuidar do projeto gráfico ou de uma revisão criteriosa do texto. Sob pena de desagradar leitores, críticos, livreiros e distribuidores – em vez de conquistá-los.

Zero Hora - Caderno da Feira do Livro - 04/novembro/2008

3 comentários:

Anônimo disse...

Lurdes, não dá mais para te aguentar... Se antes já era difícil imagina agora com a fama beijando os pés... Pobre guru... Agora falta o livro! Que esperas? que caia do céu? Quem sabe deixas de lado esta super-exposição e trabalhas um pouco... Esquilo roedor morrendo de inveja.

Marcelo disse...

bela notícia, bela editora e belo time. esperamos que hora dessas saia uma bela foto com todos olhando pro mesmo lado...

agora então
torçamos juntos pelos livros da NÃO
os que concorrendo estão
e os que ainda sairão

(ó, rimei todas! vou fazer mais uns e tentar um livro de poemas, upa!)

beijão, querida EDITORA Lu Thomé!

Lu Thomé disse...

Napp: hehehehehehehehe. Imagina! Pois é. Esperei o livro cair do céu. Desisti na semana passada. Tô trabalhando nele. Loucamente. Sim, quando os repórteres permitem, é claro - HAHAHAHAHAHAHAH!

Marcelo: HAHAHAHAHAHA! Não tem jeito aquela cara virada... Adorei a poesia, ó filósofo alemão das "Bier"! Saudades, saudades muitas tuas!!! Voooooooolta!

Beijos!