outubro 30, 2007

Ok, seu doutor. Assim não dá mais. Fiquei culpada por dois longos meses. Pensando o que pensariam de mim os que pensavam que eu pensava que nunca deixaria de tomar um remédio receitado ou indicação feita no consultório. Mas, pensa bem... Fiquei assustada, com aquela série de gripes consecutivas no mês de junho. Eu perdi as forças. Não comentei nada, porque não tive energias para sequer marcar uma consulta. O pessoal de um projeto aí ligado aos livros já estava no meu pé. Então, a saída foi parar de tomar o comprimido. Não queria arranhar ainda mais o disco: "não estou me sentindo bem, não estou..." E, então, com a culpa inchando o peito, resolvi entrar na farmácia, ser esfaqueada pelo atendente, e pagar R$ 170,00 pela caixinha de quatro comprimidos. E o que aconteceu, seu doutor? Estou doente de novo. Me arrastando pelos corredores do trabalho... Assim não dá mais. O que eu faço agora? Vai me dizer que isso é uma coincidência macabra? Sinistro é o enjôo que estou sentindo, a dor de cabeça, a fraqueza. E, nem quero nem pensar (já pensando...) no que vai acontecer se eu repetir os exames e tiver piorado de novo? Ai... Que medo.

4 comentários:

Moni Thomé disse...

Ai, Lu'kas...
Falando assim me deixa tri preocupada...
Manda alguma notícia...

Beijos...

Lu Thomé disse...

Monikas, vou marcar médico para a semana que vem... Daí vou conversar direitinho com ele sobre tudo isso. Te aviso.
Beijos!

Milton ribeiro disse...

Em plena Feira? Guria, te cuida. A gente não larga os tratamentos pela metade... São chatos, eu sei, but...

Melhoras!

Beijo.

Lu Thomé disse...

Oi Milton, eles me derrubaram nesse ano - hehehehehehe... Mas estou me cuidando...

Gracias!!!!!

Beijos