junho 23, 2008

Onde foi parar aquela orquestra que tocava no meu peito de vez em quando?

2 comentários:

Anônimo disse...

Que frase mais linda, Lurdes! Se não a usares para algunm texto irei usá-la mais cedo que imaginas em uma poesia ou letra de música. Bem que eu sempre digo que estás perdendo oportunidades. Vai fundo, guria! The phantom of de opera.

Lu Thomé disse...

Fantasma: sinta-se livre para utilizar. És quase o co-autor disso mesmo. Escrevi depois de ler um e-mail teu, ontem à noite. Está faltando um tambor por aqui... Está tudo fora do ritmo. Beijos...