junho 08, 2008

Se a bomba tivesse caído um ano antes, ela não teria feito aquela promessa. Teria arrancado as unhas tentando tirar-me dali. Quando esgotamos nossas possibilidades humanas, temos que nos iludir com a fé em Deus, como um gourmet que exige molhos cada vez mais complicados em sua comida. Olhei para o saguão, vazio como uma cela, com aquela terrível pintura verde, e pensei: ela queria que eu tivesse uma segunda chance e aqui está ela: a vida vazia, inodora, anti-séptica, a vida de uma prisão. E a acusei, como se suas preces tivessem realmente operado a mudança: o que foi que lhe fiz para você me condenar à vida?

Fim de caso, de Graham Greene

2 comentários:

Banana disse...

agora, além da lista recomendada pela Bravo!, eu leio a lista recomendada pela Lu !

juro mesmo, leio quase tudo que você recomenda por aqui :)

Lu Thomé disse...

hehehehehehehehe... Tá bem! Então, Isa, vou me puxar nas leituras e, conseqüentemente, nas indicações... Olha a responsa que tu me deixa.

Beijos!!!