março 03, 2007

Às vezes, eu acho que sou uma espécie em extinção. Eu e alguns amigos. E isso não tem nada de especial, pois carrega a mesma dramaticidade da vida real, das coisas que são boas e acabam ou somem. Eu ainda tenho pudores ao chamar alguém via MSN. "Olá. Estou atrapalhando? Pode falar comigo?". Eu ainda digito as palavras inteiras, e me corrijo se a digitação rápida imprimir um erro na tela. Dou risadas. Se estou gostando de conversar e se quero que a pessoa saiba disso. "hehehehehehehe". Depois da conversa, eu dou tchau, me despeço. Combino um encontro outra vez, ou desejo algo bom. "Boa sorte no trabalho amanhã". Eu não colo muitos smiles, mas me sinto culpada em não dar atenção, se puder... É claro... Em alguns momentos é impossível fazer qualquer uma das coisas acima. Compreensível. O que eu não entendo é todo esse universo monossilábico. O cara me chama no MSN direto com uma pergunta seca. Depois da resposta, não escreve mais nada. Fica ali on-line, parecendo ofendido, ou grosseiro, ou qualquer coisa ruim. Ou, de soco, off-line. Escreve muitas abreviações. Ou se limita a sim, não, sei lá. E também por e-mail, se mando uma mensagem começando com "Prezada Fulana, tudo bem?". Explico tudo, dou as informações com atenção, para gerar o mínimo de dúvidas. Me despeço. "Um abraço". "Um grande abraço", se conhecer a pessoa. "Um grande abraço e qualquer coisa que precisar de Porto Alegre, pode pedir", se tenho muita consideração pela pessoa. E recebo de volta, exato um minuto depois, a palavra "Obrigada"... Eu me sinto horrível. O mundo digital é rápido. Mas desgasta com a mesma velocidade. E também facilita que a falta de gentileza se espalhe como macega.

7 comentários:

Milton Ribeiro disse...

Também costumo ser educado. As exceções são meu filho e o Ao Mirante Nélson. Com ele, é sem introdução.

Recebi teu livro durante a semana. Desculpe não ter dado sinal, foi uma semana muito, mas muito, trabalhada e chata.

Beijos e bom findi.

andreia disse...

lulu, minha wireless domestica e gratuita foi pro espaco... o sinal estava muito fraco, eu estava conectada mas nao podia abrir nada, era como se estivesse offline!!! por isso desapareci do msn assim, mal-educadamente, sem me despedir de ti... perdoa eu!!
recebi teu mail, mas ainda nao abri o link. to no mall usando a wireless!! realmente, tem lugares lindos por aqui!! ainda nao me aventurei de camera em punho, e hoje vindo pra ca, me arrependi de te-la deixado em casa: a lua cheia estava nascendo, bem na minha frente, em um ceu azul-cor-de-laranja de inverno!! lindo, lindo, lindo!! assim que der, tiro umas fotos e te mando!!
bjs!!

Lu Thomé disse...

Milton: Oi! Eu li no teu blog que a vida está conturbada. Também demorei horrores para enviar o livro. Que bom que chegou. Quero saber opiniões tuas. Mesmo que gerais. Vai ser importante pra mim. Que tudo fique bem por aí!

Déia: Eu olhei o álbum de fotos do Galera. É simplemente apaixonante. Eu acho que ia enlouquecer nessa cidade, se bem me conheço. Jerusalém é linda! Aproveita por mim, amiga. E tu tem crédito (muito crédito) para sair do MSN sem se despedir - hehehehehe.

Beijos!

Moni disse...

Lú...
Me lembro sempre de nossas conversas no MSN... é muito bom...
E eu também sou assim como tu!!! Escrevendo as palavras completas... se bem, que às vezes, algumas abreviações que as pessoas escrevem eu nem entendo... tenho que perguntar o que significa!!!
Hehehehe...

Um grande beijo...

Dany Franco disse...

Lu, definitivamente - e infelizmente - tu és uma espécie em extinção. Eu sei, é difícil conviver pacificamente com pessoinhas nesse mundo... hum... "humano". Mas ainda acho que tu consegues tirar de letra. Ao contrário de mim, que sou um terror na prática desse esporte (e de qualquer outro). Beijo enorme!

Cássia disse...

Sim! Não entendo essas grosserias. Até finjo que entendo, mas não entendo.

Bisous

Lu Thomé disse...

Moni: adoro nossas conversas no MSN. Fico rindo sozinha... Melhor, só com a tua presença!

Dany: convive, mas sofre com esse "humano"... Nós e esse mundo que nos cerca, né?

Cássia: a eterna arte de conviver socialmente. Uma arte, com certeza - hehehehe...

Beijos!