dezembro 17, 2008

Aparentava mais de 80 anos. As costas curvadas, alpargatas nos pés adornados por veias azuis e arroxeadas. O segurança do shopping ajudou a colocar o carrinho de compras próximo da mesa de dois lugares. Ela não quis ver o cardápio. Disse, de forma ríspida, direta, que precisava comer rápido, pois tinha um compromisso. Aula. E, ao que parecia ser uma reclamação, ou manifestação de humor mau, veio o complemento com o pedido: "tem milkshake? De morango? Ah, então quero um com calda de chocolate. E, por favor, não esquece o chantilly!" Da mesa ao lado, eu, que já tinha largado o meu livro, sorri. E compartilhei o sorriso com um senhor que estava no caixa e com moça que atendia no café. Um momento bom...

4 comentários:

Marcos disse...

Escrever é uma arte. Eu me apego demais aos detalhes e às explicações para com o leitor, e isto está errado. Tenho que escrever como falo..se a pessoa tem a referência, que bom, se não tem, azar. Tu escreve assim, e acho que é natural, mas quando escrevo me preocupo demais com o entendimento do outro lado, coisa que não faço quando falo. Refletindo aqui só posso pensar que faço isto ao vivo porque posso ajudar o outro lado a entender, mas escrevendo deixo ele a bangu. hahahaha.

Lu Thomé disse...

hehehehehehehehehehehe. Realmente! Mas sempre gostei do teu texto. Não é tão incompreensível assim. Mas de fato: conversar contigo é melhor - hehehehehehe.

Beijos!

Dany Darko disse...

Lu: tu tiveste uma visão do que serei eu, daqui há 50 e alguns anos. Ainda estudando e se drogando com açúcar... :)

Lu Thomé disse...

Dany: HAHAHAHAHAHAHAHAHA! Imagina! Mas que tu ainda era viciada em doces: disso eu tinha certeza!!! hehehehehe

Beijos e saudades!