março 18, 2008

Escrevi um conto no domingo. Um novo. Mostrei pra Moni. Ela já conhecia a história. Mostrei pro Mr. Flag. Ele também conhecia. Mas me disse que está na hora de esquecer meus fantasmas e tentar ser escritora de verdade. De verdade? Daí eu pergunto: coisas novas que eu não vivi me farão escrever melhor? Ou me destacarei contando o que eu vivi, com os meus olhos e a minha percepção... de verdade. Não sei a resposta. Mas reconheço que será difícil me livrar de alguns fantasmas. Bom é que, até agora, eles me assombram um pouco, mas rendem bons textos.

4 comentários:

Anônimo disse...

De uma certa forma estamos sempre escrevendo a mesma história e, por outo lado, esta mesma história é uma história só nossa. Não a nossa. O melhor é contar, como sendo nossa, a história de outros. A do Mr. Flag, por exemplo.

Lu Thomé disse...

Ele ia me matar... Já tive que inventar um pseudônimo para o blog. Imagina ele nos meus contos. Mas teu conselho foi extremamente últil. Como outros tantos. Sinto falta deles todos os dias.

E vai aprender a escrever teu nome aqui?

Beijos!!!

Samir Machado de Machado disse...

Isso que tu disse de "escrever historias que eu nao vivi" é um absurdo. Não imagino como alguem pode criar e descrever um personagem que só existe na mente do autor sem estar sentindo o mesmo que o personagem sente. Tu vive todas as historias que tu cria, do contrário, tu não seria capaz de criá-las.

E não fui eu o anônimo do primeiro post.

Lu Thomé disse...

Aulas de literatura no blog! Acho que vou levar vocês dois (Napp e Samir) para uma conversar com o Mr. Flag.

E, Samir, foi o Napp que escreveu o primeiro comentário!

Beijos!