janeiro 02, 2008

"Deitado na barraca, Michel esperou a aurora. Pelo fim da noite, caiu um temporal violento. Surpreendeu-se ao constatar que sentia um pouco de medo. Depois, o céu acalmou-se e começou uma chuva regular e lenta. As gotas batiam na lona da barraca com um barulho surdo, a alguns centímetros de seu rosto, sem poder atingi-lo. Teve subitamente o pressentimento de que a sua vida inteira se pareceria com aquele momento. Atravessaria as emoções humanas, por vezes delas estaria próximo; outros conheceria a felicidade ou o desespero. Nada disso poderia dizer-lhe exatamente respeito ou atingi-lo."

Partículas elementares, de Michel Houellebecq

2 comentários:

Aninha disse...

Lulis! O presentão que me deste no Natal é divertidíssimo! hahahahaha AMEI! Obrigada mais uma vez. Beijocas e feliz 2008!

Lu Thomé disse...

Aninha! Que bom que tu gostou! Fiquei feliz! Saudades tuas.

Beijos!