janeiro 09, 2008

Fui caminhando pela calçada. Meio-dia em ponto. Sentindo o calor forte do sol nos meus ombros. A pele mais exposta. Sem enxergar direito. Por causa da luz. Por causa da água. Que insistia em escorrer dos olhos. Uma. Depois a outra. Dissimuladas pelas palmas das mãos. Virando tristeza borrada estampada no rosto. Enxerguei os braços. E senti o abraço. E agradeci por poder conviver todos os dias com uma pessoa que eu amo tanto. Obrigada, Mano.

2 comentários:

Mano...! disse...

Conta pra todo mundo como tu abusa de mim no trabalho, conta!

Hehehehehehe!!!

Lukas... os braços e abraços vão estar sempre contigo, quando tu precisar!

Tive a imagem dum deserto, quando te vi caminhando, naquele dia... Acho que por causa do calor, mesmo... Só não sabia que o oásis era eu, e a água eram tuas lágrimas... =(

Te amo, Lu!!! Conta sempre comigo!!!

Lu Thomé disse...

Tá virando poeta, Mano! Lindo teu comentário! Te amo também! Beijos!